//
você está lendo...
Ações e mobilização, Documentos

Relato da roda de diálogo de 10/10/2013, no Parque 13 de Maio

Relato feito por Ana Paula Portella

IMG_3865

Pessoas queridas, nossa roda de diálogo foi uma coisa linda! Vejam as fotos de Leonardo Cisneiros. Cerca de 70 pessoas compareceram e foi muito agradável conversar à luz da lua, sentados na grama, sentindo a brisa da cidade. É mesmo muito importante construir essa possibilidade de encontros presenciais, onde as pessoas se conhecem, se aproximam, os vínculos se fortalecem e as conversas podem seguir novos rumos. Por isso, nossa sugestão é que esses encontros sejam mensais, a cada mês em uma praça diferente e, de preferência, no final de semana, durante o dia, para agregar mais gente. Pensamos em dar o nome de Ágora Agora a esse processo, já que somos cidadãos e cidadãs discutindo a cidade e a política em praças públicas. IMG_3831

E agora, ao que interessa: a conversa foi bem boa, muito participativa e, apesar da quantidade de problemas que temos que enfrentar, foi leve e permeada pela sensação muito positiva de que estamos fazendo algo novo, bonito e bem importante para a coletividade. A conversa foi muito livre e está resumida abaixo. Muito do que foi dito serve para orientar cada um de nós no DU, outras coisas nos lembram e reforçam ações que já estão em curso e outras são sugestões para o grupo que requerem mais debate por que há divergências internas sobre as mesmas.

Quem participou ontem, por favor, veja se o relato descreve bem a conversa ou se há algo a ser acrescentado ou revisto. E pra todo mundo: sintam-se à vontade para comentar, criticar, debater e, sobretudo, para colaborar com a construção das próximas pautas.

Sugestões gerais:
IMG_3853
a. Valorizar o DU como um espaço de debate onde é possível exercitar a divergência de idéias
b. Enfatizar o planejamento propositivo e as ações articuladas com outros movimentos e coletivos, agregando causas e compreendendo-as como indissociáveis e indivisíveis
c. Reforçar a capacidade de mobilização e intervenção social de modo a constituir o DU como força política, atuando em articulação com outros sujeitos políticos.
Organização e métodos de trabalho:

2. Para a proposição de ações:

a. Os métodos são variáveis, dependem do problema, do tema e do perfil das pessoas envolvidas. Mas o mais comum tem sido o seguinte: alguém lança o problema no grupão, debate-se, sugere-se algum tipo de ação, forma-se um pequeno grupo inbox (que pode se tornar um grupo específico) para encaminhar as ações. Os resultados retornam para o grupão para agregar mais gente e divulgar. Seja qual for o caminho, porém, as ações dependem sempre das iniciativas individuais e da capacidade que esses pequenos grupos tem de demonstrar a importância da ação e agregar mais pessoas. É importante que se dialogue com o grupo moderador, que tem uma visão geral do conjunto das ações e, por isso, pode colaborar nas decisões mais estratégicas. Além disso, precisamos ter em mente SEMPRE que estamos brigando cotidianamente com o poder econômico. O DU não enfrenta apenas o governo – que, às vezes, é até nosso aliado – mas, principalmente, o grande capital, que é muito poderoso e se utiliza de métodos muito pouco republicanos. Sabemos também que nossos adversários estão no grupo e nos monitoram. Por isso, parte de nossas ações requerem sigilo e, por razões de segurança e para garantir a sua eficácia, terão que ficar restritas ao conhecimento de um número muito pequeno de pessoas. IMG_3875
b. Valorizar e garantir o espaço para as iniciativas individuais, voltadas para os problemas imediatos da cidade vividos por cada um de nós, e para as iniciativas ligadas ao campo mais estruturado da representação e da ação política, como os conselhos e conferências, por exemplo. Esses dois campos devem dialogar entre si, sem que um ganhe preponderância sobre o outro.
c. No DU não existe a possibilidade de demandar algo para que alguém – ou o grupo – faça. A idéia é que todos e cada um de nós façamos o que demandamos. Ou seja, as propostas já devem vir acompanhadas de iniciativa.

3. Organização do grupo:

a. Organização temática dos conteúdos por meio de áreas na página e/ou hashtags nos posts, de modo a facilitar as buscas
b. Criação de comissões temáticas
c. Aglutinação de acordo com interesses, fluida e obedecendo ao dinamismo do contexto político
d. Criação de estrutura de coordenações
e. Sistematizar os processos, com cuidado para não cair na burocratização – fluidez e dinamismo devem ser valorizados
f. Formulação de pautas propositivas no sentido de realizar planejamentos, elaborar projetos, etc.
g. Criar materiais informativos para o conjunto da população, aproximando a sociedade dos debates e argumentos construídos pelo Direitos Urbanos.

Agenda política atual:
IMG_3880
1. Novo Recife: acompanhando o processo na Justiça e na PCR.
2. Túnel da Madalena: representação de improbidade escrita e protocolada.
3. Edifício Caiçara: Articulação, petição (assinada por mais de 2.300 pessoas) e carta (assinada por mais de 70 organizações) de pedido de tombamento e reestruturação do Conselho Estadual de Cultura.
4. Protocolo para a atuação da polícia em manifestações: articulação da sociedade civil debate com o governo a elaboração de protocolo orientado pelos Direitos Humanos.
5. Fábrica de Torre: solicitação de tombamento feita à FUNDARPE.
6. Conselho da Cidade: participação na Comissão de Criação do Conselho da Cidade que vem discutindo o Projeto de Lei que será enviado à Câmara de Vereadores. Texto-base escrito pelo Direitos Urbanos
7. Coque (R)Existe: participação na articulação construída na ZEIS do Coque.
8. Copa: criação do grupo “DU na Copa” e participação no Comitê Popular da Copa de Pernambuco
9. Conferência de Transporte: a etapa de Recife acontecerá dia 15/10.
10. Conferência Clima e Meio Ambiente: participação nas reuniões praparatórias
11. Proteção da área histórica da Boa Vista: saiu recomendação do Ministério Público e PCR se pronunciou a favor.

Sugestões para a agenda política:

1. Transporte e mobilidade:
a. Transporte sobre trilhos: ampliar o debate, há posições divergentes no grupo, vale a pena aprofundar o tema, trazendo mais subsídios para o grupo.
b. Audiência sobre transporte na Associação Comercial Pernambucana sobre Transportes: Pernambuco sobre Trilhos está acompanhando tudo e irá informar os resultados, mas convida outros integrantes do DU para participarem
2. Copa do Mundo: ampliar discussão e propor ações concretas em articulação com outros movimentos e coletivos. O grupo DU na Copa é o espaço para isso.
3. Abrir debate e pensar em ações sobre o tema da associação entre o capital e o Estado, em Pernambuco.
4. Propor agenda e dialogar com a agenda já existente no Legislativo.
5. Plano Nacional dos Resíduos Sólidos: prazo para elaboração é 2014. Nossa Senhora do Lixo tá acompanhando o processo e pode subsidiar o grupo com informações e conteúdos para debate.
6. Encontros de grafitagem: irão acontecer vários ainda esse ano. Jan irá acompanhar e vai divulgar no grupão pra tentar agregar mais gente.

Anúncios

Discussão

Trackbacks/Pingbacks

  1. Pingback: A crise das nossas cidades é uma crise da democracia | Direitos Urbanos | Recife - 3 03UTC fevereiro 03UTC 2014

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Assine o blog pelo Facebook

%d blogueiros gostam disto: