//
você está lendo...
Clipping

Centenas de pessoas participaram da l Mostra Direitos Urbanos

Leia abaixo a cobertura do portal LeiaJá da I Mostra Direitos Urbanos, realizada no Cine São Luiz, na última segunda-feira. A reportagem teve algumas pequenas correções. Veja todas as fotos da galeria e vídeo com falas de Rutílio de Oliveira e Cristina Gouvea no site: http://www.leiaja.com/noticias/2012/l-mostra-direitos-urbanos-inicia-no-cinema-sao-luiz

Por: Rhayana Fernandes/LeiaJá

Foto: Marionaldo Junior/LeiaJá Imagens

O Cinema São Luiz abriu as portas nesta segunda-feira (21) para a primeira edição da Mostra Direitos Urbanos do Recife que, em parceria com o movimento #ocupeestelita, exibiu curtas-metragens sob a temática das grandes cidades, o seu progresso, o poder dos consórcios imobiliários e as questões sociais.

Foram exibidos Projeto Torres Gêmeas, de direção coletiva, Menino Aranha, de Mariana Lacerda, Recife Frio, de Kleber Mendonça Filho, entre outros. Por problemas de horário, o longa-metragem da noite, Um Lugar ao Sol, do cineasta Gabriel Mascaro, não pôde ser exibido, para dar vez ao debate que aconteceu após a apresentação dos curtas.

Mascaro, inclusive, falou sobre a sua perspectiva de algumas pessoas morarem em edifícios com vista privilegiada, sem ao menos se sensibilizarem com os fatos sociais que envolvem o entorno de suas casas. “O filme é a negociação do processo de como a sociedade vem lidando com esse novo olhar”, afirmou.

Cineastas, pesquisadores e professores de universidades públicas do Recife estiveram presentes no evento, discutindo o espaço público no Recife, que passa por uma crise. “É importante provocar a cidade como um todo e esses filmes são como um chamado para que as pessoas prestem atenção nisso”, conta o professor da Universidade Católica  (Unicap), Fernando Fontanella, que enfatizou a importância da atuação da mídia na sociedade.

O curta Velho Recife Novo, da Contravento,  também foi um dos filmes apresentados e debatidos na noite. “Existem algumas características que levaram esse filme a ser discutido por sete especialistas – entre elas, a urgência para falar sobre as problemáticas da cidade, a velocidade como a coisa estava se transformando e o vácuo da crítica dos partidos esquerdistas, que foram silenciados”, disse o cineasta Marcelo Pedroso.

A intenção do projeto também foi questionada pela pesquisadora da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Márcia Larangeira. “É uma ótima proposta descentralizar o projeto, levar a mostra desses filmes aos bairros e escolas públicas da cidade”, enfatizou.

Novo projeto – Simultaneamente ao debate, que ocorria na sala do São Luiz, outro grupo se reunia no primeiro andar do prédio para o pontapé inicial de um novo curta com o tema Eleições: Crise de Representação.

Juntos desde a produção do filme Torre Gêmeas, de direção coletiva, o grupo se encontrava pela segunda vez para decidir estratégias de divulgação do novo projeto, como o futuro blog que será lançado no mês junho. “Não é um grupo fechado, ele é feito pela sociedade e para a sociedade”, enfatizou o cineasta e professor da UFPE, Camilo Soares.

“O filme está aberto para quem quiser participar e contribuir. Ele será aberto a colaboração do público em geral”, explicou o documentarista e idealizador Felipe Peres. O envio de material para o filme deve se encerrar 15 dias após o 1° turno das eleições e as inscrições devem ser abertas em breve. O lançamento está previsto para 2013.

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Assine o blog pelo Facebook

%d blogueiros gostam disto: