//
você está lendo...
Audiovisual

Velho Recife Novo [Vídeo]

Oito especialistas de diversas áreas (arquitetura e urbanismo, economia, engenharia, geografia, história e sociologia) opinam sobre a noção de espaço público na cidade do Recife e destacam temas como: a história do espaço público na cidade, o efeito dos projetos de grande impacto no espaço urbano, modos de morar recifense, a relação entre a rua e os edifícios, a qualidade dos espaços públicos, legislação urbana, gestão e políticas públicas e mobilidade.

Anúncios

Discussão

3 comentários sobre “Velho Recife Novo [Vídeo]

  1. Na manhã de ontem, no Plenarinho da Câmara Municipal do Recife, ocorreu uma audiência pública promovida pela Comissão de Mobilidade e Acessibilidade sobre o transporte fluvial. Um projeto visando a navegabilidade dos rios Capibaribe e Bebiribe. Foi apresentado pela secretária executiva de Articulação Instutucional e Captação de Recursos da Secretaria das Cidades, Ana Suassuna. “Nosso principal objetivo como projeto é fazer a integração modal entre ônibus, bicicleta, metrô e o barcobus (transporte hidroviário). Além disso, asecretária executiva ainda acrescentou que o barcobus terá capacidade de transportar 86 pessoas e será climatizado. “Mas ele não será um transporte rápido. A velocidade média será de 18 quilômetros por hora”,finalizou.

    Após a exposição do projeto, houve o momento de debate.

    Para o presidente da Universidade Livre do Meio Ambiente do Nordeste (Unieco),Reginaldo dos Santos, os pontos positivos foram majoritários, como a atenção que será dada para a limpeza dos rios. O único aspecto negativo foi o equipamento utilizado para o transporte, pois existem alternativas mais rápidas, que provocam menos impacto ambiental. *

    * Resumo da matéria, da FOLHA de 21 de abril de 2012.

    Em, 24/04/2009 durante o evento do IV Workshop Internacional Recife-Marceille, participei de um passeio fluvial, do Cais à Várzea. Verificou-se durante este percurso que a ponte do Derby, fica com um nível de 1m de altura, na maré alta e, nas mesmas condições, a ponte da Torre fica com 1.70 m. Por conta da pouca altura destas pontes supracitadas, o barcobus, teve de ser projetado do tipo chata. O que resultou em um projeto de baixo desenpemho de velocidade do barcobus. Sugiro o acompanhamento do Direitos Urbanos, para um estudo de solução de intervenção nestas pontes. Só assim poderemos ter um barcobus adequado para esta finalidade. Barcos com 18km/h só serve para contemplar paisagens.

    Atenciosamente, Vital Alves Brandão

    Publicado por Vital Alves Brandão | 25 25UTC abril 25UTC 2012, 23:49

Trackbacks/Pingbacks

  1. Pingback: Depoimento pessoal: a didática prática do Direitos Urbanos | Blogue do Jampa - 16 16UTC julho 16UTC 2012

  2. Pingback: Depoimento pessoal: a didática prática do Direitos Urbanos « Direitos Urbanos | Recife - 18 18UTC julho 18UTC 2012

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: